Aftas – Tudo o que você precisa saber

O que são aftas? O nome ‘afta’ vem do grego, sua tradução para o português é ‘queimadura’.  Aftas são áreas de rupturas do epitélio com exposição do tecido conjuntivo (úlceras), que aparecem exclusivamente na mucosa oral. Normalmente as aftas são muito doloridas.

Por que surgem? A etiologia ainda não foi muito bem esclarecida. Entre os fatores predisponentes propostos estão estresse, história familiar, trauma, hipersensibilidade alimentar, deficiências nutricionais, alterações hematológicas e, ainda, um possível envolvimento bacteriano.

Como identificá-las? Clinicamente, as aftas aparecem como pequenas úlceras, circundadas por um halo avermelhado, correspondente ao processo inflamatório. A maior incidência é em regiões anatômicas onde há menor espessura ou ausência de queratina (mucosas, por exemplo) por ser mais fácil a ruptura da camada epitelial e exposição de tecido conjuntivo.

Existem graus? A aftas podem ser classificadas conforme variáveis clínicas em relação a diâmetro, profundidade e tempo de cicatrização. Atualmente são reconhecidos três tipos:

1. Afta vulgar ou minor, que é a forma mais comum.
2. Afta herpetiforme, porque lembra a manifestação do herpes simples.  Caracteriza-se por um grande número de pequenas ulcerações superficiais arredondadas e agrupadas, que também perduram por cerca de 10 dias.
3. Afta maior. Apresenta uma lesão extensa (com mais de 1 cm de diâmetro), mais profunda, dolorida edifícil de tratar. Pode demorar de semanas até meses para curar.

Como tratar? Até 20% da população sofre com aftas recorrentes e não existe um tratamento eficaz para este problema. Alguns pacientes apresentam aftas aftosa uma vez por ano, enquanto outros  apresentam lesões múltiplas frequentemente. O tratamento normalmente é sintomático, visando o alívio da dor e diminuição da recorrência.  As medicações de uso sistêmico, como os imunossupressores, são indicadas para os casos mais severos da doença, pois possuem efeitos colaterais indesejáveis. Para os pacientes com lesões menores, normalmente é indicado tratamento com aplicação tópica de antissépticos, anti-inflamatórios, anestésicos ou protetores de mucosa. A aplicação de laser de baixa potência nas lesões tem-se mostrado muito eficaz nos quadros agudos para diminuição da inflamação, e consequentemente, alívio da dor. O cirurgião-dentista deve ser consultado para um adequado diagnóstico e orientação terapêutica.

Fonte: Yahoo

Dúvidas?

Clique aqui e pergunte a um de nossos dentistas

Copyright 2018. Todos os direitos reservados.